10 setembro 2006

Desvendando Freud ...


Fiquei uma semana de molho quase. Misteriosamente, desliguei minhas antenas e desabei na cama, esquecendo as atividades por fazer. E logo qual... Nesse final de semana correndo atrás da máquina, ou seja, atrás do Freud. É um bocado de coisas. E quanto mais leio a respeito , mais vejo o quanto suas teorias são atuais. E o quanto precisamos delas para exercer de forma competente o papel de professor. O nosso aparelho psíquico é muito complexo. Mas o mestre da psicanálise desvendou muita coisa. Vamos ver se entendi direito...

Id representa nosso inconsciente maior, nossos desejos e vontades mais primárias, a necessidade de satisfazê-las a todo custo, nossos impulsos.
Ego é o nosso eu, a soma de nossos comportamentos, determinados pelo equilíbrio entre o que o id deseja e o mundo permite.
Superego é a nossa ligação com o mundo externo, a consciência moral que determina um freio para os impulsos do id, ditando regras de certo ou errado.

Nós somos o resultado , entre nossas vontades e as vontades do mundo que nos cerca. Ou deveríamos ser, porque quando um prevalece mais sobre outro, aí aparece algum desequilíbrio emocional.

3 comentários:

Sidiney disse...

Estive revendo tudo isso..

Nossa, como é bom relembrar...

Rss... Só num consegui ajudar você e nem consegui responder ao questionamento...

Vou continuar remexendo por aqui..

UpdateFreud Kevin disse...

O Id contém tudo o que é herdado, que se acha presente no nascimento e está presente na constituição, acima de tudo os instintos que se originam da organização somática e encontram expressão psíquica sob formas que nos são desconhecidas. O Ego é a parte do aparelho psíquico que está em contato com a realidade externa. O Ego se desenvolve a partir do Id, à medida que a pessoa vai tomando consciência de sua própria identidade, vai aprendendo a aplacar as constantes exigências do Id. Como a casca de uma árvore, o Ego protege o Id, mas extrai dele a energia suficiente para suas realizações. Ele tem a tarefa de garantir a saúde, segurança e sanidade da personalidade. O Superego atua como um juiz ou censor sobre as atividades e pensamentos do Ego, é o depósito dos códigos morais, modelos de conduta e dos parâmetros que constituem as inibições da personalidade.

Marli disse...

Obrigada pela contribuição!

 
BlogBlogs.Com.Br