22 outubro 2006

Aprendizagem Colaborativa

Fonte: www.vivenciapedagogica.com.br
Estamos num tempo em que o mundo vive tantos problemas, com as pessoas presas em seus casulos, perdidas em seus problemas existenciais. Nunca estivemos tão rodeados de gente e no entanto tão sozinhos, tão angustiados. E agora José? Que fazer? Estamos começando a perceber que a soluções precisam ser coletivas. Precisamos cada vez mais proporcionar situações de aprendizagem em que o eu ceda lugar ao nós, em que os aprendizes vivam situações semelhantes às que irão vivenciar como cidadãos que só poderão ser felizes convivendo, cooperando, fazendo trocas, partilhas. Não existe outra saída: Ou educamos para a solidariedade ou pagamos o preço da solidão. Ou educamos para a partilha ou ficaremos prisioneiros de um egoísmo que nos afastará cada vez mais, cada um buscando caminhos desencontrados onde um ganhará em detrimento do outro, criando abismos sociais.
A aprendizagem colaborativa pode acontecer em qualquer ambiente, não necessariamente apenas no ambiente virtual , mas quero falar aqui especialmente do uso da internet, que é objeto mais específico de nosso estudo. Nós , educadores que escolhemos o papel de abrir caminhos, de mostrar o novo, utilizando a tecnologia, ainda teremos uma árdua missão pela frente. Porque a grande maioria dos mortais ainda não se deu conta do potencial que o computador tem. Muitos ainda o utilizam para perpetuar velhas práticas, ou seja, receber informações. Com o advento da web.2 a palavra chave é interação. Temos a possibilidade de trocar informações, sermos autores, interferir no processo. Isso é uma verdadeira revolução rumo à nossa libertação, submetidos que fomos sempre às idéias que nos foram impostas sem chance de contra-argumentação.
Nos ambientes colaborativos de aprendizagem à distância, é preciso que cada membro da equipe saiba interagir, deixar a sua contribuição. Apenas acompanhar através de leituras muitas vezes é se apropriar do conhecimento do outro sem contribuir com nada em troca. Sempre haverá diferenças entre os pares, porém a riqueza está na troca dos diferentes saberes.Os mais experientes em determinado assunto auxiliam os que ainda o desconhecem. Assim ocorre a motivação de ambas as partes. Na aprendizagem colaborativa, tem haver a constante troca de idéias, cada elemento sendo responsável pelo resultado do grupo, assumindo tarefas interdependentes. A avaliação do processo pode ser feita pelos pares e também através de auto-avaliação. Também, se a avaliação depender em parte do desempenho total do grupo, cada elemento sentir-se-á responsável pelos demais.
São inúmeras as formas de aprendizagem colaborativa na internet hoje, que podemos utilizar com alunos. Coloco aqui alguns exemplos.Além dos blogs, onde os alunos de várias escolas podem trocar idéias entre si, temos cada vez mais ferramentas de escrita colaborativa, como a wiki, o writely, webnote, etc. A webquest é um grande exemplo de trabalho para ser feito de forma cooperativa, com os alunos solucionando problemas em grupo. Enfim, temos um prato cheio. Basta se dispor a inovar.

7 comentários:

Michela disse...

Adorei, amei, vc é demais!!!

Marli disse...

Oi Michela!

Obrigada! De onde vc é? Volte sempre! Abraço!

Iza Life disse...

Como educadora o texto contribrui para profundas reflexões. Parabéns. Valeu a pena,. Pois quando lemos um texto parte do autor fica dentro de nós. Obrigada por contribuir de forma reflexiva sobre a utilização daS TECNOLOGIAS na aprendizagem colaborativa.

Marli Fiorentin disse...

Olá. Obrigada. É bom poder contribuir como outras pessoas que tem os mesmos interesses. Abraço!

Sonia Wanderley disse...

Olá, Marli!
Tomei contato com seu blog através de um curso de EaD que estou fazendo, oferecido pelo Cederj. Sou professora universitária e de ensino básico na Uerj e fiquei maravilhada com o seu blog. Parabéns!

Danubia Machado disse...

Olá Marli,
Assim como a Sonia estou fazendo um curso de EaD oferecido pelo Cederj. Provavelmente deve ser o mesmo.
Gostei muito do seu blog.
Sou gaúcha e desde o ano passado comecei a trabalhar com ensino à distância. Parabéns pelo trabalho!

Sônia Alves disse...

Olá, Marli!

Também sou do grupo de cursistas do Cederj. Excelente o seu texto, pois está ligado diretamente a minha prática como tutor.
Obrigada por sua contribuição, parabéns!

 
BlogBlogs.Com.Br